Clique ao lado para visualizar o sumário da nova CONTINENTE.

Edição #171

Março 15

Nesta edição

Corpo Arte

O corpo e a arte sempre mantiveram uma relação estreita. Ao longo da História, essa ligação foi tensionada e transformada, sobretudo quando, no século 20, aquilo que era apenas representação – em pinturas e esculturas, mas também na dança e no teatro – passou a ser suporte para experimentos, tornado-se não apenas um meio para discutir determinada temática, sendo ele o próprio tema. Entre os artistas que empreenderam as rupturas na concepção do corpo na arte, a partir dos anos 1960–70, está a sérvia Marina Abramovic. Sozinha ou junto com o parceiro de mais de uma década, Ulay, ela realizou performances inquietantes e questionadoras, de intensidade poética e grande plasticidade.

Este mês, será aberta, no Sesc Pompeia (SP), a exposição Terra comunal, que empreende uma retrospectiva do trabalho seminal de Abramovic. Este fato é o ponto de partida da nossa matéria de capa, que traz a discussão sobre a relação arte-corpo, da qual a artista é protagonista.

Além do retrospecto histórico, fundamental para a compreensão do tema, o material parte para a discussão contemporânea do papel do corpo nas linguagens artísticas. Uma das vozes presentes é a da psicanalista e pesquisadora de arte Suely Rolnik, a partir das conceituações que estabeleceu de “corpo-que-sabe” e “corpo recalcado”. Esse último seria centrado no eu, reforçando uma perspectiva estéril do corpo, já o “corpo-que-sabe” seria questionador, “um corpo, enfim, que sabe e existe em potencial até serem ‘ligadas’ suas conexões sensíveis e performativas em relação ao meio circundante”, como explica a jornalista Olívia Mindêlo.

Tudo indica que migramos, como afirma o francês Michel Bernard, “da civilização contra o corpo para a civilização do corpo”. Hoje, experimentações performativas têm forte cunho político, como aquelas que operam catarses na memória de corpos marcados historicamente por escravizações, explorações e torturas, como os das mulheres e de gays. As redes sociais e a internet também têm se mostrado, na contemporaneidade, ambientes propícios a essas provocações, manipulações e exibição da intimidade.

Ainda nesta edição, retomamos a Conversa, projeto lançado na edição de janeiro, dentro das comemorações dos 15 anos da Continente, que, a cada dois meses, reúne profissionais de uma determinada linguagem artística para discutir as principais inquietações das suas áreas. Neste segundo encontro, reunimos cinco profissionais das artes cênicas.

Leia

Publicidade

Destaques

Sumário