Clique ao lado para visualizar o sumário da nova CONTINENTE.

Edição #148

Abril 13

Nesta edição

Cicloativismo

Nessa cidade, o trânsito flui livremente. Pedestres usufruem calçadas bem cuidadas e não há nada no caminho que lhes atrapalhe a caminhada. Bicicletas e motos compartilham o asfalto com carros de vários portes, em pé de igualdade, com espaço para todos.

Hoje, essa cidade é utópica, pelo menos, entre nós. Mas nada impede que se torne real. Não para os que são otimistas, e acreditam que aquilo que está ruim pode melhorar. Podemos dizer que o cicloativismo atua nessa faixa de utopia. Mas os que dele participam não devaneiam. Seu idealismo é de ação. Os cicloativistas estão ocupando as ruas, chamando a atenção para suas existências, buscando alternativas para uma situação de trânsito que, sim, está muito desigual e violenta, com o privilégio dos carros, que, ensimesmados, se esquecem de que são dirigidos por gente, tão gente quanto aquele que está logo ali, a pé. (O que nos diz que o problema não são os carros, mas as pessoas que estão dentro deles...)

Temos falado muito em ciclovias, ciclofaixas, ciclistas. Talvez essa nunca tenha sido uma preocupação tão evidente quanto nestes dias, no Brasil. Alguns países já trilharam esse caminho, buscando soluções para seus problemas de deslocamento, que fi ndam por repercutir no bem-estar em outros aspectos da vida nas grandes cidades.

Nesta edição, procuramos tratar do assunto a partir dessas considerações: o cicloativismo no Brasil e as experiências positivas de inclusão da bicicleta como meio de transporte (e não apenas de lazer) em outras partes do mundo. Desse modo, podemos afi rmar que compartilhamos do interesse desse movimento em transformar nossas cidades em espaços de convivência mais gentis e plurais, em que todos podem se movimentar com segurança e respeito.

Ainda que poucos, há bons exemplos de urbanismo que incluem a bicicleta como transporte no Brasil. Em entrevista a Olívia de Souza, a jornalista Natália Garcia, que está à frente do projeto Cidades para pessoas, destaca as cidades de Maringá (PR) e Rio Branco (AC). Esta, poucos de nós sabemos, tem o maior planejamento cicloviário do país.

Leia

Publicidade

Destaques

Sumário