Clique ao lado para visualizar o sumário da nova CONTINENTE.

Arquivo

Uniforme: A evolução da camisa do Brasil

TEXTO Sérgio Miguel de Buarque

01 de Junho de 2014

Imagem Janio Santos

[conteúdo vinculado à reportagem de capa | ed. 162 | jun 2014]

Para uns, é como se fosse uma segunda pele.
Para outros, um manto sagrado. Dentro do universo de simbolismos, ritos e mitos que envolvem o futebol, o uniforme com que os times entram em campo ganha um lugar de destaque no imaginário dos torcedores. Ao longo do tempo, transformou-se em peça reverenciada, desejada e adorada. Além disso, e principalmente por conta disso, as camisas usadas pelos atletas passaram a ter também um significado econômico. Espaço que foi ocupado pelo marketing esportivo e que virou uma fonte de receita para as equipes.

Mais do que a preocupação estética ou simbólica, tão importante para os torcedores, o vestuário adequado à prática esportiva deve estar de acordo com as necessidades fisiológicas, ergonômicas e antropométricas (proporcionais às medidas do corpo) do atleta. Por estar em contato direto com a pele, esse tipo de vestuário ocupa um papel importante no bem-estar do esportista.

Diante disso, a evolução dos uniformes (Confira AQUI) pode ser observada por dois caminhos distintos, mas complementares. O primeiro é o aspecto tecnológico, com a evolução dos materiais usados e a preocupação com a performance e conforto dos atletas. O outro, é estético. Acompanha a moda e os costumes de cada época. Recebe influência e também influencia as maneiras de vestir dos jovens de cada geração.

Desde 1860, quando os jovens britânicos vestiam uma calça usada para dentro de um meião, camisa de botão e um terninho esportivo, até as modernas camisas da Nike, com tecnologia dry fit, sistemas de ventilação e dispersão de calor, muita coisa mudou. A partir dos jogos nos colégios da Inglaterra, começou o processo de aperfeiçoamento das vestimentas dos atletas. A primeira grande mudança ocorreu nas primeiras décadas do século 20, quando o tecido plano da camisa com botões foi substituído pela malha 100% algodão com gola e cordinha.

Em 27 de julho de 1914, é formada a primeira seleção brasileira de futebol. Há 100 anos, os pioneiros daquela que viria a se tornar a maior campeã da história do futebol não vestiam a famosa dobradinha verde-amarela da seleção canarinho, mas a camisa branca e o calção azul, hoje descartados. 

SÉRGIO MIGUEL BUARQUE, jornalista e sócio da Marco Zero Conteúdo - agência de jornalismo investigativo, sem fins lucrativos e independente.

Leia também:
Catarse: Os "loucos" das arquibancadas
Hinos: Com o coração inflado da pátria amada
Partida 1: Chã Grande x Ypiranga
Partida 2: Central x Santa Cruz
Partida 3: Santa Cruz x Sport

Publicidade

veja também

Pierre Verger: Registros de um Brasil à época desconhecido

[Entrevista] Mauro Rosso

Teste WEB INTERNO DEV (Hugo Campos)

comentários