Clique ao lado para visualizar o sumário da nova CONTINENTE.

Curtas

XI Bienal do Livro de PE

Evento literário, que acontece entre os dias 6 e 15 de outubro, presta homenagem aos escritores Lima Barreto e Fernando Monteiro

TEXTO Eduardo Montenegro

27 de Setembro de 2017

O autor de 'Triste fim de Policarpo Quaresma' será debatido por especialistas em sua obra

O autor de 'Triste fim de Policarpo Quaresma' será debatido por especialistas em sua obra

FOTO Reprodução

Sustentando-se no tema “Literatura, Democracia e Liberdade”, a XI Bienal Internacional do Livro de Pernambuco acontecerá entre os dias 6 e 15 de outubro, no Centro de Convenções de Pernambuco, homenageando os escritores Fernando Monteiro e Lima Barreto. Para embasar discussões a respeito do tema, diversos autores contemporâneos e profissionais ligados à literatura foram convocados, tais como os escritores Walnice Nogueira Galvão e Ronaldo Correia de Brito, e a antropóloga Lilia Schwarcz, autora do livro Lima Barreto, triste visionário.

Como um dos expoentes eventos de literatura no país, a Bienal, em sua décima primeira edição, empreende-se de forma atualizada com as discussões contemporâneas, desde a escolha do homenageado, até a sua programação. Lima Barreto, falecido em 1922, além de ser um dos cânones da literatura brasileira, igualmente foi uma das vozes em defesa dos direitos humanos, políticos e sociais. Tanto Walnice quanto Lilia conduzirão debates a respeito do escritor, a primeira com a palestra “Lima Barreto: República e Direitos Humanos”, a segunda com uma conversa a respeito do Triste fim de Policarpo Quaresma, e a sua pesquisa para o citado Triste visionário, lançado pela Companhia das Letras.

Em meio a uma sociedade abarcada num conservadorismo crescente, o papel da mulher tem sido discutido, rediscutido e subvertido. Mesmo nos âmbitos das artes, que tendem a ser mais progressistas – visto que até mesmo a arte é e foi censurada, desqualificada e subjugada –, a representação feminina, publicando, escrevendo ou como personagem, é uma questão ainda carente. Maria Valéria Rezende, vencedora do Prêmio Jabuti de 2009 com No risco do caracol, na categoria infantil, e ganhadora do Livro de Ficção do Ano, em 2015, pelo Quarenta dias, será recebida pelo coletivo Leia Mulheres em conversa sobre o lugar da mulher na literatura brasileira. A mulher negra, minoria duas vezes, é também tema da roda de diálogo “Invisibilidade da Mulher Negra na Literatura”, com Inaldete Pinheiro e Dayse Moura, como parte do Programa MINC.

Se o papel da mulher na literatura, em diferentes aspectos, ainda é uma questão a ser discutida, o mesmo se diz a respeito da representação LGBTT. Em tempos de censura ao Queermuseu, os autores Dielson Vilela (Meu melhor amigo é gay, de 2016), Raimundo de Moraes (autor de literatura homoerótica, assina Baba de moço) e Jayme Benvenuto encabeçam a mesa de debates “Empoderamento e Protagonismo LGBT na Literatura Brasileira Contemporânea”.

A maioria dos debates e palestras acontecem no Auditório Círculo das Ideias, como também no Auditório Fundaj/MEC. Fora do ciclo discursivo, a Bienal sediará apresentações culturais, além de atender os geeks e nerds na Bienal Geek - Távola Nerd. A programação completa pode ser conferida no site www.bienalpernambuco.com.

Serviço
XI Bienal Internacional do Livro de Pernambuco
De 06 a 15 de outubro
Centro de Convenções de Pernambuco
www.bienalpernambuco.com

Publicidade

veja também

Ana Ivanova, a voz de ‘King Kong em Asunción’

Pelejas em redes: vamos ver quem pode mais

Desmanche

comentários