Indicações

Marina Abramović inaugura obra na Usina de Arte

Artista sérvia apresenta neste sábado (3) primeira obra dela em espaço aberto ao público no Brasil

02 de Fevereiro de 2024

"Generator", primeira obra da artista sérvia em espaço aberto no Brasil

Foto Andréa Rêgo Barros

O maior nome da performance artística do mundo, Marina  Abramović está em Pernambuco para inaugurar obra na Usina de Arte, em Água Preta. “Generator” poderá ser apreciada pelo público local a partir deste sábado (3). E teremos a primeira obra da artista sérvia em espaço aberto ao público no Brasil, instalada em área do Parque Artístico-Botânico do equipamento cultural situado em Água Preta, na Zona da Mata Sul de Pernambuco.

"Generator" materializa reflexões sobre como as expressões materiais da natureza podem ser instrumentos de cura humana. Para criar a obra, a artista radicada em Nova York  realizou pesquisas com pedras e cristais brasileiros, o que tem feito desde os anos 1980. Trata-se de um muro com 25 metros de comprimento por três de altura e dois e meio de largura, no qual estão aplicados 15 conjuntos com três almofadas de quartzo rosa (vindas de Minas Gerais), para que o público encoste a cabeça, o coração e estômago nas pedras - conhecidas por transmitir calma e clareza. A obra se embriona na experiência vivida pela artista em uma performance na Muralha da China, em 1988.

Abramović propõe uma troca: “eu lhe dou o trabalho, você me dá seu tempo”, conduzindo as pessoas ao encontro da conexão profunda. "Neste momento de turbulenta história humana, vivemos uma época de guerras, violência, pobreza e aquecimento do nosso planeta. O rápido desenvolvimento técnico afastou-nos da natureza e perdemos a capacidade de usar a intuição, a telepatia e de lembrar os nossos sonhos. Perdemos nosso centro espiritual. A função do ‘Gerador’ não é apenas uma escultura. Destina-se à interação pública com os cristais e a sua energia, na esperança de restaurar a nossa capacidade de nos conectarmos com a natureza através da quietude e da presença no aqui e agora", defende a artista.

Abramović trabalha com o conceito que chama de “objetos transitórios”. Por meio deles, estimula o público a dar um passo além e se tornar parte ativa do trabalho, se transformando em “experimentador” dos objetos e criando o fazer artístico em conjunto com ela. “Todos os objetos transitórios têm uma coisa em comum: não existem por si próprios; o público deve interagir com eles. Alguns objetos existem para esvaziar o espectador, alguns para dar energia e alguns para possibilitar a partida mental”, finaliza a artista que tem estimulado essas trocas em trabalhos como "White Dragon, "Red Dragon, "Black Dragon" e “Chair for Departure with Crystal Points”.

Ainda nesse território de curas, em 2012, a artista percorreu mais de seis mil quilômetros de solo brasileiro em busca desse entendimento. Na jornada, pesquisou espaços e pessoas místicas que representam os diversos tipos de manifestação de poder espiritual na cultura do País, cujo resultado é apresentado no documentário “Espaço Além - Marina Abramovic e o Brasil”, lançado em 2016, disponível na Amazon Prime. O filme faz um registro etnográfico enquanto observa os processos de apropriação artística e humana de Marina, enquanto ela entra em contato com os rituais do Vale do Amanhecer, o xamanismo na Chapada Diamantina, o candomblé na Bahia, as curas do médium João de Deus e os cristais de Minas Gerais.

 

 

 

Publicidade

veja também

[MUSICAL] “O Irôko, a Pedra e o Sol”

[LANÇAMENTO] “Comunidade dos contrários”

[CURSO GRATUITO] Oficina de Atuação Cinematográfica