Clique ao lado para visualizar o sumário da nova CONTINENTE.

Indicações

[Poesia] Chifre

Adelaide Ivánova toma os chifres como símbolo do seu novo livro

TEXTO Revista Continente

04 de Agosto de 2021

 O livro 'Chifre' é dividido em três partes, trazendo poemas inéditos

O livro 'Chifre' é dividido em três partes, trazendo poemas inéditos

Capa Divulgação

"Um chifre é uma coisa linda, com funções maravilhosas para quem o tem. É, ao mesmo tempo, adorno e arma." Essas palavras da poeta Adelaide Ivánova explicam o seu novo lançamento: o livro Chifre, publicado pela Edições Macondo,  no qual fala sobre o desejo de retomar o controle da própria vida. Mas como fazer isso mergulhada em uma crise humanitária e política? "Pegar o touro pelos cornos" é a metáfora da autora, que divide a obra em três partes. A primeira, raiva, euforia, cansaço, inicia o livro testemunhando o silêncio presente durante a separação de um casal. Esta é seguida por writer's block e raiva, esperança, ação, sentimentos que referenciam técnica de organização comunitária do sindicalismo. Do amor à política (e em tudo entre os dois), a autora registra a experiência de viver um momento solitário, mas com uma ponta de esperança.

Publicidade

veja também

[Streaming] Crime ganha versões documental e ficcional

[Artesanato] Registro dos saberes em 'Feira de sonhos'

[Artes visuais] Mostra celebra os 90 anos de José Cláudio