Indicações

[FESTIVAL] Recife do Teatro Nacional

Retomando atividades, a programação abrange teatros e ruas com 15 montagens locais e 13 nacionais inéditas no Recife

TEXTO Revista Continente

16 de Novembro de 2023

Na peça Azira’I, em cartaz nos dias 18 e 19, no Teatro Apolo, protagonizada pela atriz indígena Zahy Tentehar

Na peça Azira’I, em cartaz nos dias 18 e 19, no Teatro Apolo, protagonizada pela atriz indígena Zahy Tentehar

FOTO Daniel Barbosa / Divulgação

A 22ª edição do Festival Recife do Teatro Nacional tem início, a partir desta quinta-feira (16), ocupando palcos e ruas da cidade, até o dia 26 de novembro. Esta edição é marcada pela diversidade de estéticas e étnicas, além de trazer temas contemporâneos. São, ao todo, 28 espetáculos, sendo 15 produções locais e 13 montagens nacionais inéditas na cidade - dentre elas, Azira’i, solo da indígena Zahy Tentehar, que estreou recentemente no Rio de Janeiro. As apresentações vão abranger teatros de Santa Isabel e Parque, Apolo e Hermilo Borba Filho, Barreto Júnior e Luiz Mendonça, além de ganhar as ruas da cidade, com performances nos mercados públicos. Ingressos serão distribuídos uma hora antes do início das peças nos teatros, mediante entrega de um quilo de alimento não perecível. Os homenageados desta edição são Newton Moreno e André Filho, um dos fundadores da Companhia Fiandeiros.

PROGRAMAÇÃO

Dia 16 (quinta-feira)
19h - Abertura +Viva o povo brasileiro (De Naê a Dafé), da Sarau Cultura Brasileira, (RJ), no Teatro do Parque

Dia 17 (sexta-feira)

12h - Grande Prêmio Brazil, de Andréa Veruska e Wagner Montenegro (PE), no Mercado de São José
19h -Viva o povo brasileiro (De Naê a Dafé), da Sarau Cultura Brasileira (RJ), no Teatro do Parque
20h - Se eu fosse Malcom, de Eron Villar e DJ Vibra (PE), no Teatro Hermilo Borba Filho
20h - De tempo somos, do Grupo Galpão (MG), no Teatro Luiz Mendonça.

Dia 18 (sábado)
16h - Vento forte para água e sabão (infantil), do Grupo Fiandeiros (PE), no Teatro do Parque
18h - Azira’i, solo da indígena Zahy Tentehar (RJ), no Teatro Apolo
18h - Cabaré Coragem, do Grupo Galpão (MG), no Teatro Luiz Mendonça
20h - Sueño, da Heroica Companhia Cênica (SP), no Teatro Santa Isabel

Dia 19 (domingo)
16h - Sueño, da Heroica Companhia Cênica (SP), no Teatro de Santa Isabel
16h - Enquanto Godot não vem, da Cia 2 em Cena (PE), no Teatro Barreto Júnior
17h - O Irôko, a Pedra e o Sol, do grupo O Poste Soluções Luminosas (PE), no Teatro do Parque
18h - Azira’i, solo da indígena Zahy Tentehar (MA), no Teatro Apolo
18h - Cabaré Coragem, do Grupo Galpão (MG), no Teatro Luiz Mendonça

Dia 20 (segunda-feira)
19h - Miró: Estudo nº 2, do Grupo Magiluth (PE), no Teatro do Parque
19h - Deslenhar, do grupo Teatro Miçanga (PE), na área externa entre os teatros Hermilo e Apolo
20h - Órfãs de Dinheiro, solo de Inês Peixoto (MG), no Teatro Apolo

Dia 21 (terça-feira)
20h - Alguém para fugir comigo, do Resta 1 Coletivo (PE), no Teatro Hermilo Borba Filho

Dia 22 (quarta-feira)
10h -Grande Prêmio Brazil, de Andréa Veruska e Wagner Montenegro (PE), no Mercado de Afogados
17h - Ubu - O que é bom tem de continuar, do Grupo Clowns de Shakespeare (RN), no Morro da Conceição
18h - Leitura dramatizada Justa, com Fabiana Pirro e Ceronha Pontes, na Faculdade de Direito
19h - Yerma - Atemporal, de Simone Figueiredo e Paulo de Pontes (PE), no Teatro do Parque
20h - Pedras, flor e espinho, do grupo ACA Produções Artísticas (PE), no Teatro de Santa Isabel

Dia 23 (quinta-feira)
10h - Grande Prêmio Brazil, de Andréa Veruska e Wagner Montenegro (PE), no Mercado de Água Fria
17h - Ubu - O que é bom tem de continuar, do Grupo Clows de Shakespeare (RN), na Avenida Rio Branco
19h - Auto da Barca do Inferno, da Cênicas Cia de Repertório (PE), no Teatro do Parque
21h - Solo para um Sertão Blues, de Cláudio Lira (PE), no Teatro Apolo
21h - Narrativas encontradas numa garrafa pet, do Grupo São Gens de Teatro (PE), no Teatro Hermilo Borba Filho

Dia 24 (sexta-feira)
11h - Grande Prêmio Brazil, de Andréa Veruska e Wagner Montenegro (PE), no Mercado de Casa Amarela
15h - Boquinha: E assim surgiu o mundo (infantil), do Coletivo Preto (BA), no Teatro Barreto Júnior
19h - Leitura dramatizada O Sonho de Ent, da Cia Fiandeiro (PE), na sede da companhia (Rua da Saudade, 240, Boa Vista)
20h - Contestados, da Cia Mútua Teatro e Animação (SC), no Teatro Apolo
21h - Ao Paraíso, de Valécio Bruno (PE), no Teatro Hermilo Borba Filho

Dia 25 (sábado)
16h - Boquinha: E assim surgiu o mundo (infantil), do Coletivo Preto (BA), no Teatro Barreto Júnior
17h - A.N.J.O.S (infantil), da Cia Nau de Ícaros (SP), no Teatro Luiz Mendonça
17h - Pelos quatro cantos do mundo (infantil), Cia Teatral Milongas (RJ), no Teatro de Santa Isabel
18h e 20h - Interior, do Grupo Bagaceira (CE), no Teatro Hermilo Borba Filho
19h - Tatuagem, Cia Revista (SP), no Teatro do Parque
20h - Contestados, da Cia Mútua Teatro e Animação (SC), no Teatro Apolo

Dia 26 (domingo)
16h - Céu estrelado (infantil), do grupo Pedra Polida (PE), no Teatro Apolo
17h - A.N.J.O.S, da Cia Nau de Ícaros (SP), no Teatro Luiz Mendonça
17h - Pelos quatro cantos do mundo (infantil), Cia Teatral Milongas (RJ), no Teatro de Santa Isabel
18h e 20h - Interior, do Grupo Bagaceira (CE), no Teatro Hermilo Borba Filho
19h - Tatuagem, Cia Revista (SP), no Teatro do Parque

 

 

 

veja também

Play Rec realiza curso online

Virtuosi celebra maestro Clóvis Pereira

Claudia Abreu encarna Virginia Woolf