Clique ao lado para visualizar o sumário da nova CONTINENTE.

Indicações

[Livro] Povo Xambá Resiste

Livro da Cepe Editora se debruça sobre os 80 anos da repressão aos terreiros em Pernambuco

TEXTO Revista Continente

13 de Dezembro de 2018

A nação Xambá sofreu e resistiu por décadas com a criminalização das religiões africanas

A nação Xambá sofreu e resistiu por décadas com a criminalização das religiões africanas

Imagem Reprodução

Dizem que a ancestralidade do povo Xambá veio das regiões da Nigéria e de Camarões, onde existem várias famílias com esse nome. Aqui em terras pernambucanas, os ritos e as tradições desse povo também estabeleceram suas raízes, tornando-se o terceiro maior quilombo urbano do país. Embora tenha essa magnitude religiosa, a nação Xambá sofreu e resistiu por décadas com a criminalização das religiões de matrizes africanas, intensificadas durante o período do Estado Novo, entre os anos de 1937 e 1945. Esta narrativa histórica de criminalização/resistência é contada no livro Povo Xambá resiste, 80 anos da repressão aos terreiros em Pernambuco (Cepe Editora), da jornalista e pesquisadora Marileide Alves, com lançamento nesta quinta (13/12). Na ocasião, os grupos Bongar e Estesia celebram Iansã com a apresentação de um concerto com músicas dedicadas ao orixá do terreiro. O evento começa às 16h, no próprio Terreiro de Xambá, em São Benedito, Olinda.

 

Publicidade

veja também

[festa de encerramento] Chuva de brilho

[livro] Furtiva

[livro] Planta baixa

comentários