Clique ao lado para visualizar o sumário da nova CONTINENTE.

Curtas

Noites sem fim

Geraldo Maia faz turnê estadual interpretando repertório mais intimista de Capiba

TEXTO Samanta Lira

24 de Setembro de 2019

Cantor pernambucano reforça tom boêmio e lírico em seu show

Cantor pernambucano reforça tom boêmio e lírico em seu show

Foto Teresa Maia/Divulgação

[conteúdo exclusivo Continente Online]

Lourenço da Fonseca Barbosa, ou simplesmente Capiba, foi um dos maiores compositores da MPB. Versátil e múltiplo, o mestre de Surubim escreveu mais de 200 músicas, cantando as cidades de Recife, Olinda e Campina Grande, décadas de carnavais – com seus frevos inesquecíveis –, além de obras que vão da valsa ao maracatu, do samba-canção à guarânia, do bolero a peças eruditas. Agora, para homenagear a relevância desse legado, o cantor pernambucano Geraldo Maia lança o projeto Noites sem fim, que apresenta ao público a música brasileira através da vasta obra de Capiba.

Com circulação em Pernambuco, fruto do apoio do Funcultura, o projeto já passou por Taquaritinga do Norte, Surubim e Arcoverde, seguindo turnê por Recife (27/9). “Tenho predileção especial não pelo Capiba dos belos e alegríssimos frevos, mas pelo compositor das melodias e letras dolentes, às vezes desesperançadas, tristes mesmo, e que, em alguns casos, ecoam o barroco. Esse Capiba, ouso dizer, me cai como uma luva”, conta Geraldo sobre a escolha do repertório que privilegia o compositor para além de seus frevos, a partir de canções como Serenata suburbana, Verde mar de navegar, A mesma rosa amarela e Sem pressa de chegar.

Com o intuito de reforçar o tom intimista, boêmio, lírico e, por vezes, soturno, Geraldo Maia optou por uma formação quase camerística, sem percussão, bateria ou instrumento elétrico. Para acompanhá-lo, Noites sem fim traz o quinteto formado por Alberto Guimarães (violão 7 cordas), Adalberto Cavalcanti (bandolim e direção musical), Bráulio Araújo (baixo acústico), Júlio César (acordeon) e Renato Bandeira (guitarra semi-acústica).

O projeto também tem a proposta de apresentar convidados em cada uma das cidades que integram a turnê. Em Taquaritinga do Norte, contou com a participação da dupla Socorro e Mazé; em Surubim, com a cantora Luanda Ferreira; em Arcoverde, teve a presença do cantor Alexandre Revoredo; e no Recife, o artista Tonfil acompanhará Geraldo.

Em entrevista à Continente, o cantor comentou acerca da recepção do público e das expectativas para a última noite do show, na capital pernambucana. "As três cidades por onde passamos nos acolheram com muito carinho, principalmente na terra natal de Cabiba. Agora, a expectativa é que os recifenses possam comparecer à última noite de homenagem a esse grande compositor e entender o artista genial e necessário que ele é. Acredito que esse projeto conseguiu mostrar o Capiba poético, lírico e musical. Uma força necessária para esses momentos difíceis."

O show no Recife acontecerá no Teatro Santa Isabel, no dia 27 de setembro, às 20h, e os ingressos custam R$ 10 (preço único).

SAMANTA LIRA é estudante de Jornalismo e estagiária da revista Continente.

Publicidade

veja também

A reinvenção do Agreste na 2ª Bienal do Barro

Cena Cumplicidades evidencia a autoria na dança

Sil Karla e Diogum Oliveira no Arts Emotions Afrikwa!

comentários