Clique ao lado para visualizar o sumário da nova CONTINENTE.

Curtas

Gemini

Para comemorar a Revolução Francesa, o Consulado Geral da França para o Nordeste lança HQ digital e interativa

TEXTO PAULA MASCARENHAS

05 de Agosto de 2019

Imagem da HQ digital e interativa 'Gemini'

Imagem da HQ digital e interativa 'Gemini'

Ilustração Reprodução

[conteúdo na íntegra | ed. 224 | agosto de 2019]

contribua com o jornalismo de qualidade

O dia 14 de julho de 1789 foi um marco para a agitação social e política que atingia toda a França. Em uma ação histórica, o povo invadiu e tomou a prisão que simbolizava o poder do reinado de Luís XVI, a Bastille Saint-Antoine, em Paris. Conhecido como Queda da Bastilha, o episódio foi a primeira intervenção popular contra a opressão da monarquia absolutista do país, marcando o início da Revolução Francesa e da Idade Contemporânea. E este sentimento revolucionário, permeado pelos ideais de Liberdade, Igualdade e Fraternidade, é celebrado até hoje com a Festa Nacional Francesa, cujas comemorações acontecem em todas as cidades francesas, chegando também ao Recife.

Assim, a fim de aproximar as distâncias geográficas, linguísticas e artísticas entre a França e o Brasil com os festejos do 230º aniversário da Revolução Francesa, o Consulado Geral da França para o Nordeste promoveu uma comemoração inédita no 14 de julho deste ano: a realização da HQ digital e interativa Gemini, através do projeto 14 juillet no Nordeste.

Resultado de uma parceria entre o Consulado, a revista recifense O Grito!, a Escola de Design de Nantes Atlantique e a agência francesa Creactive Factory, a iniciativa teve o objetivo de celebrar a Festa Nacional Francesa com a produção de uma obra artística inédita, inovadora e acessível a todos os públicos. Para isso, em abril deste ano, o projeto enviou dois ilustradores, o brasileiro Roger Vieira e a francesa Clémence Bourdaud, para uma residência artística em quadrinhos em Nantes, na França, para que os dois realizassem uma imersão criativa e cultural para a produção da HQ.

O ilustrador olindense Roger Vieira, que sempre trabalhou com quadrinho independente e autobiográfico, revela, em entrevista à Continente, que este intercâmbio artístico foi um marco profissional e pessoal. “Foi a primeira vez que saí do Brasil, então toda essa experiência só rendeu bons frutos: tive liberdade narrativa e gráfica para criar a HQ, eu e Clémence interagimos bem durante a produção, e também acabei me reconhecendo como artista autoral e tive várias ideias para trabalhar futuramente nas minhas obras”, lembra.

Tendo como temática os diversos símbolos culturais de Nantes e Recife, que são consideradas cidades-irmãs desde 2001, Gemini apresenta elementos gráficos representativos de cada uma, como o carnaval pernambucano e a Festa Nacional Francesa, de modo a celebrar valores comuns. A narrativa onírica da HQ, que tem trilha sonora e é sem diálogos, mistura sonho e realidade, passeando por imagens em preto e branco, produzidas por Roger, e coloridas, com os traços de Clémence.

Além de estreitar a relação franco-brasileira, a HQ se destaca pela combinação entre os quadrinhos clássicos e o desenho animado, ao apresentar uma experiência visual totalmente interativa, incrementada pelos efeitos de sobreposição e animação. O jornalista Paulo Floro, um dos fundadores e editores da revista digital O Grito!, realizou a organização e edição da HQ, acompanhando desde primeiros esboços até o produto final. Ele ressalta que o projeto possui vários aspectos inovadores.“Um deles é a realização de uma residência artística em quadrinhos, que é algo muito raro; e o outro é a HQ ser interativa, uma técnica pouco explorada não apenas nos quadrinhos brasileiros, como também no mundo. Proporcionar essa interatividade no formato digital é um avanço, pois respeita a leitura não linear de um quadrinho físico, em que o leitor é quem decide como vai ler e interagir com a história. A HQ é totalmente responsiva e adaptável a qualquer suporte digital, como smartphones, tablets e computadores”, conta.

Gemini já ficou disponível para todo o público no último dia 14 de julho, podendo ser acessada pelo site do projeto. No entanto, o projeto continua repercutindo em diversos formatos. A revista O Grito! criou um diário da residência artística em Nantes, narrado pelos quadrinistas Roger e Clémence, no qual contam detalhes do processo de criação da HQ. A revista Plaf deve publicar a HQ com adaptações do digital para o meio impresso. Além disso, há uma proposta do Consulado Geral da França para o Nordeste para que os quadrinhos também se transformem em uma exposição interativa, que acontecerá em setembro, em Nantes, e em novembro, no Recife.

PAULA MASCARENHAS é graduada em Letras pela UFBA, estudante de Jornalismo pela UFPE e estagiária da Continente.

Publicidade

veja também

Manual de sobrevivência para dias mortos

Simonal

Casa do Derby

comentários