Clique ao lado para visualizar o sumário da nova CONTINENTE.

Curtas

Osman Lins e Montez Magno em livros inéditos

Pesquisadores lançam coletânea com obra não lida do escritor junto ao novo livro de poemas do artista plástico

TEXTO Manu Falcão

25 de Abril de 2019

Imagem Reprodução

Escrever, para mim, é um meio, o único de que disponho, de abrir uma clareira nas trevas que me cercam”, disse uma vez Osman Lins, em entrevista ao Estado de São Paulo. O homem que fez de seu ofício uma intrépida busca pelo entendimento deste âmago, o do escritor, de si e seu mundo, e cujos ecos se fazem incessantes na literatura contemporânea, nasceu em Vitória do Santo Antão, Pernambuco. Passados 90 anos de seu nascimento – e 41 de sua morte –, Osman "retorna" com textos inéditos à terra natal, este mundo em questão que fez reverberar noutros lugares a forja de uma sensibilidade intrinsecamente pernambucana. Com organização dos professores Ana Luiza Andrade, Rafael Dias e Cristiano Moreira, acaba de ser lançado o livro Imprevistos de arribação: publicações de Osman Lins nos jornais recifenses (Papaterra Editora, 464 páginas), cuja edição crítica foi facultada pelo Funcultura.

São dois volumes de quase 100 artigos escritos por Lins nos idos de 1950 e 1960, sendo composto, também, por poemas avulsos, nunca antes publicados, e reportagens autobiográficas feitas em Vitória. A coletânea tece as costumeiras reflexões sobre literatura, mas não faz delas seu único escopo; é, ainda, um calidoscópio de retratos dessas duas cidades, e de um efervescente movimento cultural na Recife cinquentista.

Racontos sobre o teatro local, as igrejas e seus ritos e a lendária editora O Gráfico Amador – formada e circulada por intelectuais pernambucanos do meio, como Aloisio Magalhães, Ariano Suassuna e João Cabral de Melo Neto. Imprevistos de arribação soa como um componente final à conjuntura da obra de Osman Lins, contextualizando-a no tempo e espaço em que fora feita e a partir das influências que a rondavam, podendo, assim, ampliar o ensejo de sua crítica com novas abordagens e olhares.

O livro é ilustrado pelos desenhos da série Estudos, do artista, poeta, colaborador e amigo pessoal de Lins, Montez Magno – cuja obra era estimada pelo escritor vitoriense. Por isso, o lançamento do livro de inédito de Osman Lins veio junto a outra publicação inédita, Crisálida, em edição limitada e com poemas e ilustrações do artista pernambucano.  

Ambos os títulos têm o dedo de Cristiano Moreira, de Santa Catarina. A coletânea inédita de Osman é resultado da sua pesquisa de doutorado e o livro especial de Montez, fruto de seu ofício editorial na Oficina Tipográfica Papel do Mato, localizada numa pequena cidade catarinense.


Foto: Divulgação

Imprevistos de arribação e Crisálida estão à venda e custam, respectivamente, R$ 70 e R$ 100.

Publicidade

veja também

Gemini

Manual de sobrevivência para dias mortos

Simonal

comentários